quinta-feira, 26 de abril de 2012

Memória, Percepção e Tempo

Este post é um excerto da segunda edição de meu livro Princípios de Psicologia Dinâmica.

Uma das temáticas mais difíceis da Psicologia, e talvez a mais importante de todas, é a memória. A dificuldade ligada a esse assunto se reflete nas alegorias que até hoje são usadas para significar o que a memória é. Praticamente todos os conceitos de memória disponíveis na Psicologia, na Filosofia e na ciência implicam alguma imagem sobre armazenamento ou registro de dados. A teoria behaviorista fala de “modificações no organismo”, mas esta definição é tão vaga quanto vazia. Não é possível conceber o eu numa perspectiva dinâmica se sua noção traz implícita a imagem de um saco de bagagens em que ele acumula recordações do passado.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Facebook e a Psicologia do Auto-Engano

Entrar no facebook todos os dias é uma aula de psicologia do auto-engano. Sem nenhum sarcasmo, estou me interessando bastante pelo comportamento das pessoas no facebook e do quanto elas revelam aqui da maneira como lidam com suas dificuldades.

Aquele que vive crises no relacionamento ou que alimenta dúvidas sobre o que realmente sente pelo parceiro vai desandar em declarações públicas de amor a ele, postar exortações sobre como o amor é importante e supera todas as diferenças e dificuldades.

Aquele que sofre intensamente com o que os outros pensam dele vai postar frases de auto-exaltação salientando que não se importa com a opinião de ninguém, e que sua auto-estima independe do que pensam os demais.

Aquele se sofre por ter sido abandonado ou pelo medo de ser abandonado vai nos lembrar que os que se ausentam demais deixam de fazer falta... E nos ameaça dizendo que ele é um guerreiro que luta até o fim pelas pessoas, mas que quando ele desiste de alguém, é definitivo. Portanto, tome cuidado para não ser abandonado por ele! Pois, assim como a criança que tem medo do escuro grita alto para assustar os “fantasmas” que estão assustando-a, quem tem medo de ser abandonado é que abandona os outros antes para não lhes dar a chance de fazer o mesmo com ele, na esperança de assim salvar uma auto-estima que já não existe há muito tempo.