domingo, 28 de outubro de 2012

Pessoas Deprimidas Não Mordem

A proximidade com uma pessoa deprimida incomoda muita gente. Os outros não sabem como reagir ao apelo de alguém nesse estado. A causa desse incômodo é bastante simples: A pessoa deprimida ousa duvidar de que a vida tenha sentido, e com isso ela abala o esforço extenuante que os outros fazem para manter vivos seu otimismo e seu entusiasmo perante a vida. O deprimido não precisa dizer nada para causar esse impacto. A simples presença de uma pessoa assim já serve para desmascarar a artificialidade que fundamenta nossa alegria de viver. Por essa razão, ninguém leva uma pessoa deprimida a sério. No geral, as pessoas tentam (1) animá-la, como quem balança um chocalho para uma criança que chora, (2) inundá-la com conselhos cheios de clichês, como se a depressão fosse um estado de debilidade mental, ou então (3) reprovam severamente a sua atitude, como se o ficar deprimido fosse uma transgressão moral. 
A simples condição de estar deprimido coloca um sério questionamento sobre o sentido da vida que, muitas vezes, nem a própria pessoa deprimida é capaz de compreender. É muito grande o número de pessoas que não sabe dizer por que está deprimida. E a atitude dos outros que as cercam tende a reforçar essa alienação. Os outros alienam a pessoa deprimida de sua condição para que eles mesmos não tenham que enfrentar o questionamento trazido por ela. O deprimido é tratado como uma criança que precisa ser animada, um débil mental que não sabe nada da vida ou um transgressor da própria vida. E, quando nada disso surte efeito, ele é, finalmente, tratado como doente. O deprimido é mandado ao psiquiatra para que a consciência de seu questionamento sobre a vida seja definitivamente entorpecida. 

O sentido da vida é fabricado por nós. A depressão denuncia essa farsa. Ela denuncia o fato de que fabricamos o sentido da vida com nossos planos, nossos sonhos, nossos projetos, nossas esperanças; ou seja, ela denuncia o fato de que fabricamos o sentido da vida com especulações sobre o que ainda não fizemos, ainda não possuímos, ainda não conseguimos ser. O material utilizado para fabricar o sentido da vida é o vazio. O deprimido tem a ousadia de reconhecer esse vazio dentro dele mesmo, e ao fazer isso ele insulta o dogmatismo daqueles que se esforçam fervorosamente para crer que o vazio está pleno. 

O deprimido não quer que ninguém tente animá-lo, não quer que ninguém lhe dê conselhos, não quer que ninguém lhe dirija exortações morais. O deprimido quer ser levado a sério. Ele quer encontrar noutra pessoa o mesmo questionamento que ele está fazendo. Ele quer que o seu vazio seja compreendido e aceito com naturalidade. Em suma, ele deseja ser escutado. Simplesmente escutado. E ele descobre que isso é praticamente impossível. É praticamente impossível que alguém escute uma pessoa deprimida sem tentar animá-la, sem lhe dar conselhos, sem lhe fazer exortações morais ou mandá-la procurar um psiquiatra. O deprimido descobre que o destino do vazio que ele teve a ousadia de descobrir nele mesmo é o isolamento e a solidão. Ele tem a leve sensação de que se esse vazio fosse plenamente compreendido por todos e livremente compartilhado entre todos, talvez ele pudesse adquirir um sentido; um sentido que se encontra no presente, não aquele fabricado com o futuro que não existe. Entretanto, vivendo num mundo que tem pavor da verdade trazida por ele, e que faz de tudo para não levá-lo a sério, é o próprio deprimido que acaba não levando a sério a si mesmo, e por fim não compreendendo mais o que é que, afinal de contas, ele mesmo está questionando. Por resultado, temos a depressão tratada como doença, e o próprio deprimido que, aceitando sua condição de doente, procura o médico para se tratar, sem ter a mínima noção de que, muito pelo contrário, é ele quem traz dentro de si mesmo a semente da cura para um mundo que insiste em viver doente de tanto otimismo e felicidade. 

Este texto é cópia de uma postagem da página PSICOLOGIA NO COTIDIANO no facebook. Entre e curta a página: 


3 comentários:

  1. Perfeitíssimo! Principalmente esta parte onde diz que o deprimido mostra aos outros o que as pessoas não querem ver. O mundo busca a felicidade. Nada pior do que ouvir " esquece isso, vai passar, levanta a cabeça". Se o que a pessoa quer é enfiar a cabeça no buraco, viver na escuridão, no isolamento, sentir a dor em sua plenitude. E isso fere as regras da sociedade, que obriga todos a serem felizes! mesmo que falsamente!!!

    ResponderExcluir
  2. eu nao sei oq significa felicidade tenho 24 anos , e tdos esses anos meus dias so tiverao, tristezas, revoltas, depressões, bullyng, pessoas pra baixar a minha alta - estima, nunk tive amigos, vivo de lagrimas do amanhecer ao anoitecer, sempre fui rejeitada, nao tenho e nunk tive alguem pra apenas se ker oferecer um ombro pra eu desabafar, nao tive vontade de viver, , alias eu costumo dizer eu eu sempre vegetei, nunk soube oq e viver, felicidade, entao nem sei oq e isso, ninguem me entende, todos me criticam falam q nao sou normal, que sou cheia de frescuras, oq nao e verdade, eu apenas sempre kis um carinho de um pai de uma mae, de primos, sempre kiz ter amigos mas nunk ninguem me aceitou, na escola sempre fui sinonimo de piadas, o mundo me rejeita, eu nao saio de casa,minha única vontade e de fechar os olhos e durmi para sempre, ja nao suporto mais tanta angustia tanta tristeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sannykita, eu sei perfeitamente o que você sente, sempre fui uma pessoa trancada, embora tivesse amigos quando era jovem, mas o vazio me acompanhava sempre. sinto até hoje, só que hoje que tenho 63 anos, embora não me sinta com essa idade, faço academia, toco meus instrumentos (saxofone, teclado e violão ) , te asseguro minha amiga que no fundo com certeza, eu tiro é o maior sarro da cara de todo mundo , pois nunca fui tão livre e feliz como tenho essa consciência hoje, é muito parecido com o texto que foi relatado acima, não temos máscaras e depressão é como se fosse um amputado, de alguma forma vai arranjar um modo de conviver com ela e hoje sinto que estou no lucro você é feliz e não percebeu ainda, te desejo toda sorte do mundo e que venha mais rápido esse entendimento para sua vida então você vai entender que você realmente é feliz e que não depende dos outros para isso acontecer. Um grande abraço prá você.

      Excluir